Programa

a) Biodiversidade Genética e Genómica

Este nível de biodiversidade permite estudar o processo de geração de Biodiversidade e avaliar o impacte das alterações ambientais na genética e genómica dos indivíduos e das populações assim como analisar as suas adaptações às novas condições ambientais.
Procura-se abordar os processos e os padrões de geração e manutenção de diversidade genética nas espécies e nas populações e fazer análise intraespecifica da variabilidade com o objectivo de entendimento dos processos demográficos passados e actuais e os processos de diferenciação que podem conduzir à formação de novas espécies.

De forma inovadora procura-se realizar abordagens genómicas da biodiversidade através da a genómica ambiental, funcional e comparativa. O que permitirá o estabelecimentos das relações entre o genoma e as características adaptativas essenciais para a adaptação dos indivíduos e populações às alterações globais.

Análise das implicações para a Biodiversidade dos grandes processos actuais de adaptação induzida: a domesticação, a urbanização e as invasões biológicas.


b) Biodiversidade Especifica e Saúde pública

Espécies e populações constituem um componente essencial da biodiversidade. Populações viáveis indicam a presença de habitats e ecossistemas adequados às suas exigências biológicas e ecológicas. Assim, a variação na abundância e na distribuição de espécies seleccionadas pode ser considerada um relevante indicador na avaliação da perda da biodiversidade, considerando o seu significado biológico.

A perda de Biodiversidade tem, do ponto de vista da qualidade de vida e da saúde humana um impacto muito grande e ainda não quantificado. Um dos efeitos mais directos é a redução de efectivos ou mesmo a extinção de espécies de plantas, animais e micro-organismos, que podem conter substâncias essenciais à produção de novos fármacos para o tratamento de patologias como infecções e tumores.

Procura-se abordar estas matérias no contexto do equilíbrio entre as espécies, populações e comunidades e o seu ambiente, chamando a atenção para os factores bióticos e abióticos que podem condicionar alterações irreversíveis nas biocenoses e perda de Biodiversidade. Por outro lado, o valor da Biodiversidade será equacionado não só em termos conservacionistas mas também em termos económicos e sociais, nomeadamente a relevância da Biodiversidade na Saúde Pública. Assim os formandos irão obter informações sobre matérias como: impacte das alterações ambientais nos padrões de biodiversidade especifica, padrões de distribuição de espécies e modelos preditivos, a alteração da biodiversidade e a transmissão de doenças; zoonoses emergentes e alterações climáticas e ambientais; o comércio de biodiversidade e os riscos para a saúde pública; o valor da biodiversidade como fonte de produtos naturais com aplicações terapêuticas.


c) Modelação das Alterações dos Ecossistemas

A humanidade depende dos benefícios directos e indirectos que obtemos dos ecossistemas, os chamados serviços dos ecossistemas. Com as alterações que temos vindo a fazer aos ecossistemas e com a perda da biodiversidade colocam-se problemas sérios à continuação do fornecimento desses serviços. Nesta pós-graduação são dadas ferramentas para perceber a dinâmica das principais alterações globais, e a forma como a biodiversidade e os serviços dos ecossistemas são afectados. É dado um grande ênfase à formação em modelação dada a importância dos modelos nas dinâmicas globais e regionais dos ecossistemas, como por exemplo o ciclo do carbono ou a distribuição das espécies e comunidades em resposta às alterações de uso do solo. São assim oferecidas disciplinas de programação, de modelação estatística e de modelação ecológica com equações diferenciais. São também dadas ferramentas de valorização económica da biodiversidade e para análise dos impactes no bem-estar humano das alterações nos ecossistemas. Por fim, são introduzidas técnicas de gestão sustentável de recursos biológicos, essenciais numa época em que falhas na gestão dos recursos biológicos têm tido consequência económicas muito negativas, como o colapso de vários bancos de pesca.